sábado, 26 setembro 2020, 13:06
Início Notícias Famosos 'Sou negra, de origem humilde e não precisei de um diploma de...

‘Sou negra, de origem humilde e não precisei de um diploma de Harvard para ser reconhecida’, revela cientista

O caso envolvendo a professora Joana D’arc Félix que apresentou um diploma falso de Harvard caiu como uma bomba e trouxe a tona muitas controvérsias.

Joana fez o seu doutorado pela Unicamp e venceu diversas adversidades, mas mentiu sobre ter cursado Harvard e agora está com a sua credibilidade abalada. Negra e de origem humilde chegou ao topo da carreira acadêmica a ponto da Globo Filmes revelar interesse em fazer um filme sobre a sua trajetória de vida.


Também negra e de origem humilde, nascida em uma pequena cidade do Vale do Jequitinhonha a cientista e empresária Jackeline Alecrim afirma lamentar o quanto as pessoas estão focadas em se preocuparem mais em vender uma imagem inalcançável de sucesso ao invés de promover a igualdade de oportunidades que o ensino traz.

Especializada em cosmetologia avançada e professora universitária e de pós graduação por 9 anos ela comenta o ocorrido: “É uma pena o quanto os jovens e a população com maior dificuldade de acesso à educação é afetada com uma ideia de somente quem estuda em escolas renomadas é capaz de construir uma carreira de sucesso ou alcançar o reconhecimento.

Isso faz com que as pessoas se sintam desestimuladas, mas eu posso afirmar com total convicção de que qualquer pessoa pode ser capaz de mudar a própria realidade com dedicação e estudo, em instituições públicas ou privadas, o foco deve ser absorver o máximo de conhecimento e não somente títulos”, afirma.
Joana tem contado sobre sua vida em palestras e programas como Encontro Com Fátima Bernardes e Conversa com Pedro Bial e sempre mencionou o diploma em Harvard como uma de suas grandes conquistas, além do ingresso na faculdade com apenas 14 anos.

Infelizmente estes dados segundo sondagem do Estadão são inverdades.
A cientista Jackeline Alecrim também é negra e de origem humilde e superou diversas dificuldades para realizar seus sonhos.

A ‘cientista da beleza’, que é especializada em cosmetologia avançada e professora de pós graduação afirma que não é preciso um diploma de Harvard para se destacar no meio acadêmico e profissional: “Eu como cientista, mulher, negra de origem simples penso sempre em defender a idoneidade de pessoas que vieram assim como eu de uma situação de dificuldades para vencer e conquistar seus objetivos.

Eu sou formada em faculdade privada, através de bolsa PROUNI, não fiz Harvard e isso não tirou de mim a possibilidade de chegar até aqui e desenvolver produtos como Caffeine’s Therapy, que alcançaram reconhecimento internacional”.

- Advertisement -

Deixe seu comentário

Últimas notícias

Tambaqui será destaque na FIESP

O Tambaqui e outros produtos de Rondônia serão apresentados para empresários paulistas na ação denominada “Rondônia Day”. O evento será realizado...

Brasil bate recorde de medalhas e fecha Pan em 2º após 56 anos

A delegação brasileira enviada para competir nos Jogos Pan-Americanos deixam a cidade de Lima com a melhor participação da história na competição...

Bolsonaro diz que Alemanha queria comprar a Amazônia

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou, neste domingo (11), que o Brasil não precisa do dinheiro da Alemanha para preservar a...

Governo alinha ações para criar nova feira de agronegócio e exposições em Porto Velho

Conhecido pelas grandes feiras agropecuárias no interior e até internacionalmente através da Rondônia Rural Show, o Estado agora busca dar a população...

Morador de Monte Negro descobre estar com câncer após imigrar para os EUA

Amigos e familiares de Josias Marques da Silva de 34 anos levantaram uma campanha de ajuda de custo na internet para...